Shine Your Light

Posts Tagged ‘Internet

Ouçam “3ª do plural – Engenheiros do Hawaii”

SOPA: stop online piracy act

A internet é um dos meios mais completos que temos hoje em dia para termos acesso a “diversão” e a muitas outras coisas. Através dela distintos objetivos foram alcançados, desde nos aproximar de amigos distantes a fazer com que organizassem protestos. E é a essa internet que estão querendo permitir um certo tipo de CENSURA.

Quantos cantores não conhecemos através do Youtube? Quantos filmes não baixamos pelo Megaupload? Eu, como fã declarada de uma artista, sou contra a pirataria, claro. Acontece que a internet, inegavelmente, é um meio de divulgação excelente e isso é bom até mesmo para os artistas. O que seria o Justin Bieber se não fosse o Youtube? E hoje ele é a favor da SOPA rs.  Ainda que com essa liberdade de downloads possam ser diminutas as vendas de cd’s e dvd’s, o que tivermos que comprar, compraremos. Posso ter tudo na internet, se me agradar, vou comprar. O acesso monetário é muito limitado. Querem que compremos tudo, mas quanto tá custando em média um livro hoje em dia? R$ 30,00.  Tem de ser visto os dois lados da moeda.

Não sou contra o combate a pirataria, mas o modo como estão lidando com isso acaba afetando outras redes que não estão diretamente ligadas. Se não conseguem controlar esse “crime”, que não censurem nosso entretenimento. Se em um blog ou fórum pode haver links “comprometedores” de downloads não autorizados, estes também podem ser retirados do ar segundo a SOPA.

Há, de certa forma, uma “guerra” entre os do poder e o povo. O grupo Anonymous, em protesto, vem hackeando inúmeros sites para que possam voltar atrás. Não sou a favor do “bombas para paz”, mas só assim eles verão que o povo é que tem a voz. Enquanto isso, vamos baixando tudo o que for possível. Brincadeira, hehehe.

“Aonde leva essa loucura?
Qual é a lógica do sistema?
Onde estavam as armas químicas?
O que diziam os poemas?
O tempo nos faz esquecer o que nos trouxe até aqui
Mas eu lembro muito bem como se fosse amanhã.”

Hey, mãe! Eu tenho uma guitarra elétrica. Durante muito tempo isso foi tudo que eu queria ter. Mas, hey, mãe… alguma coisa ficou pra trás; antigamente eu sabia exatamente o que fazer


Bendita internet! Ela, que passou por momentos bem contrastantes. Ora prejudicial, ora benéfica. Diversos programas de tv (sem querer manipular, claro que não) falavam ou ainda falam, de modo negativo, sobre a juventude e a internet. Não sei em que mundo eles vivem, mas é bem explícita a importância da internet na atual sociedade.

Acredito que a maior parte da população brasileira tenha acesso à internet, e para um estudante, ter um computador significa ter milhares de informações para deixar seus trabalhos mais completos. Além de que, pela internet, até os mais alienados acabam se conectando mais às notícias, seja pelo google, seja pelo wikipedia, ou até mesmo pelos “TT’s” do twitter.

Não só no quesito de estudos, mas também na comunicação, a internet é bastante útil. Há até aqueles que vivem soltando “maldita inclusão digital”, mas que de maldita não tem nada. Matar a saudade de amigos, ver familiares ou conversar de modo prático e de baixo custo era mesmo o que precisávamos.

Uma reação a rápida ascensão das novas tecnologias são as crianças, que, a partir de 3 anos (falo pelas minhas irmãs), já têm seus computadores e seus vícios. Com  tanta facilidade nesse início de vida, é nítido que elas mostram maior interesse pelas coisas da tendência, pela leitura, por querer aprender fazer contas de matemática mais rápido por causa dos jogos online etc.

E o mais atual caso, ou nem tanto, são as Revoltas Árabes. Revoluções combinadas a partir de redes sociais: quem imaginava?

O que preocupa grande parte da população (nossos queridos responsáveis) é o quanto esse vício pode prejudicar a sociabilidade da juventude fora da internet. Por essas e outras (que outras?), especialistas não se mostram com expectativas para o assunto, receosos quanto aos efeitos psicológicos que isso tudo pode gerar.

Mas fala sério, quem aqui ainda conseguiria viver sem um Google da vida?