Shine Your Light

Sorry for the mess – carta de uma criança

Posted on: 30/03/2011

Não é porque sou criança que não sofro. Nem todos os meus sentimentos são besteiras. Não é porque tenho 7 anos que não sei o que é dor de verdade. Não é só porque estou chorando que estou de manha.

Quero gritar, chorar, expor o que penso. Queria uma família. Queria que a minha avó tivesse tempo pra mim. Queria ter alguém com quem brincar de carrinho. Queria não ter visto a cena em que meu pai matou minha mãe e logo após foi preso. Queria não ter sido molestado. Queria não ter motivos para pensar em morte… mas quem vai me entender? A quem tenho eu senão a mim mesmo?

Como dizem meus tios: só nasci para atrapalhar tudo. Eu sou uma droga! Eu não sirvo pra nada, senão dar trabalho. Quero poupá-los disso. Quero deixá-los feliz.

Tudo pra mim é desgraça. Não posso ir à rua com meus amigos para jogar bola, pois tenho que arrumar a casa. No dia das crianças, pedi um carrinho ao meu pai, mas tudo o que ele me deu foi uma blusa nova -daquelas listradas, que tem na prisão-, e ainda disse para eu não ser ingrato. Queria uma namorada, pra ir pra escola de mãos dadas com ela. Mas nem à escola eu vou.
Pensei que ter namorada era legal, mas meu pai me mostrou o que elas fazem. Mostrou na prática. Doeu. Foi nojento. Eu não quero mais ter uma namorada.

Eu odeio a minha vida. Ou eu morro ou eu vivo com a morte dentro de mim.
Mas… o que é mesmo a morte?
Lembro-me que um dia minha mãe me falou que depois que morremos íamos a um lugar lindo… no céu. CARACA! No céu.. eu nunca cheguei nem perto. Ela também me disse que lá não havia sofrimento, mas sim uma paz inexplicável. Mas ela me disse que é só depois que a gente morre… sabe, é pra lá mesmo que eu quero ir.

Minha inocência perdida, ah! Pai, meu monstro. Eu ainda te amo, mas odeio lembrar de tudo o que você fez. Só te perdôo pois sei que enviastes minha mãe a um lugar perfeito… sei que não foi por mal. Pelas coisas que foi comigo.. bom, eu devo mesmo merecer. Sou um péssimo filho.
Pra onde vai minha alma eu não sei. Minha mãe um dia me explicou uma coisa dessas mas eu não me lembro muito bem… eu acho que estou acorrentado à minha própria alma.
Meu sangue… nele que eu me afoguei.

Gritos:  “Socorro! Salve-me do perigo que é viver.. eu não aguento mais isso. Alguém me ajuda. Quero ser feliz…”
Silêncio…

Só quero matar minha dor. Não chorem. Não me enterrem. Não quero deixar marcas em um mundo que nunca me notou. Chega de palavras, pois estas também irão se perder com o tempo.

Eu amo todos vocês,

Ass: a ovelha negra da família

Solidão tem corpo
braço e perna
e me mostra
a janela.

Sim, escrito por mim. Apenas quis narrar no papel de uma criança, embora tenha ficado forçado.

Anúncios

14 Respostas to "Sorry for the mess – carta de uma criança"

teu texto é tudo que eu não desejo que o meu filho passe, pense etc. simplesmente angustiante

Ola Eu sou dono do blog os mercenarios
que é um blog de indicação de afiliados

http://usmercenarios.blogspot.com/

Estou propondo uma promoção
visite o blog vera que tem varias dicas e com elas muitas vantagens
a promoção é a seguinte: se vc se cadastrar ao menos na dica 1 tera o seu link divulgado na lista de recomendações do blog garanta-se na primeira pagina

e você tera muitas vantagens que nossos promotores proporcianam aos afiliados

Apos Efetuar o cadastro envie o link do seu site/blog para o email: diego_ass@terra.com.br a providenciaremos a publicação assim que seu site for aprovado pelos promotores.

se tiver duvidas me adicione no msnpara que eu possa te auxiliar diego_ass@terra.com.br
atenciosamente: Diego

Nossa!
7 anos e mta maturidade…

Nossa, que triste, e angustiante, é terrível saber que existem crianças que passam por tudo isso, são nessas horas que a fé em um mundo melhor vai quase à zero.

Muito bom o blog e o texto, parabens;

http://www.bigodefedido.com/

Texto pesado esse, hein.
Realmente é triste saber que crianças, pessoas sem grande experiência de vida, passem por tudo isso e coisas ainda piores aí fora. Mas ao mesmo tempo serve como forma de amadurecimento para que no futuro não cometam o mesmo erro com outras. A perspectiva de vida pode não ser a melhor, mas nada justifica o suicídio. Mas aí já é outro departamento. kk

Nossa, esse texto realemente tá pesado.
Me comoveu bastante assim como tudo que envolve angustia, tristeza e sofrimento em relação a crianças.

Gostei de ver. (:

Uma mente confusa e transtornada. Infelizmente milhares de crianças passam por isso nesse instante.

Uma realidade triste, mas verdadeira. tantos se sentem assim e pensam assim devido ao desamparo que tem em casa e a falta de assistência habitual em nossa sociedade.
Teu relato de deixou meio melancólica; não que seja uma descoberta nova, mas é difícil confrontar-me com isso.

Quando isso vai mudar? Será que vai mudar? Quantas desistências de vida ainda teremos?…

Bj!

Angustiante é pouco, chega a ser ruim de se ler…

Muito triste…

Bj.

Misunderstood

Um texto ótimo!
Extremamente bem escrito, o que hoje em dia, está cada vez mais difícil de encontrar.

Parabéns.

Cara, é dificil comentar isso.
O que dói é saber que isso realmente acontece com muuuuitas crianças diariamente e por ser dentro das suas próprias casas é dificil pensar em maneiras eficientes de prevençao, porque o lugar onde era para ser um refúgio se torna a zona de perigo.
Uma criança tem que ser ouvida e os pais, tios, amigos, precisam ser sensiveis a linguagem nao-verbal da criança.
O seu texto abrange muita coisa, mas vou encerrar meu comentário por aqui.

Abraço forte.

q texto pesado!

A criança sofre mais que o adulto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: